O conteúdo dessa página pode ser reproduzido desde que informado a fonte e o autor.

28 de abr de 2010

ORAÇÃO NA VIDA CRISTÃ (Pequenos segredo de uma oração que vai amadurecendo...)

“Para mim a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado ao céu, um grito de reconhecimento e amor no meio da provação ou no meio da alegria”. (Santa Teresinha do Menino Jesus, “História de uma Alma”).

Pequenos segredos de uma oração que vai amadurecendo

1. No princípio a pessoa se sente inclinada a ver a oração como uma ação própria, como uma realização humana. Mas, à medida que amadurece, percebe que ela é um dom de Deus. Como afirma São Paulo (Rm 8), é o Espírito que nos ensina a orar e que ora em nós. O importante não é o que fazemos ou oferecemos. O gesto do orante é o de elevar para o céu as mãos abertas e vazias. Não podemos dar nada a Deus. Podemos apenas oferecer-lhe nossa ação de graças. É ele que nos sacia. E também que nos move a orar.

2. No princípio se entende a oração como pedir para si. Mais tarde se descobre que ela significa também interceder, pedir para os outros. As duas formas, a petição e intercessão, são legítimas e devem durar por toda a vida. Mas com o passar dos anos se descobre que vale muito mais dar graças, e, principalmente, louvar a Deus. Abrir-se aos outros é uma grande coisa. Mas abrir-se a Deus e louvá-lo é ainda mais. É atitude de abertura.
3. No princípio são usadas na oração fórmulas aprendidas de memória ou tiradas dos livros. É uma ajuda necessária por toda a vida. Sempre são necessárias fórmulas um pouco fixas, nas quais nos reconhecemos e com as quais nos sentimos satisfeitos. Mas devemos também aprender a orar do fundo do coração, com oração espontânea.
4. No princípio se aprecia uma oração detalhada e extensa, que expresse todas as idéias e todas as intenções. Quando o orante amadurece mais, aprende a força de uma jaculatória, de uma oração breve. O evangelho já nos advertiu que nossa oração não deve ser como a dos pagãos, cheia de palavras. Um exemplo maravilhoso, uma oração ouvida de pescadores bretões: “Senhor, teu mar é grande. Nossas barcas pequenas. Amém.”
5. No princípio se buscam muito a mudança e a variedade na oração. Principalmente os jovens que não apreciam repetir fórmulas. E não devem ser criticados por isso. Com a idade se aprende o valor da repetição.
6. No princípio o orante depende muito do lugar, do tempo e dos gestos tradicionais da oração. São elementos que ajudam. Mas é bom que se aprenda a rezar também em qualquer lugar, fora dos ambientes e dos tempos ou posturas de costume.
7. No princípio se acredita que a oração litúrgica não tem nada a ver com a oração pessoal. Mais tarde se descobre a força que as orações tiradas da liturgia têm também para a oração pessoal.
8. Por exemplo, os salmos são considerados, no princípio, como orações para as horas litúrgicas. Um belo dia se descobre que eles são uma excelente reserva para a oração pessoal.
9. No princípio se acredita que orar e ler a Bíblia são coisas diferentes. Mais tarde se descobre que ler a Bíblia é algo fácil e estupendo. E assim se atinge uma das mais importantes formas de oração: a meditação bíblica.
10.Quando se ora, não se pode prescindir totalmente das palavras. Mas a alguns é dado orar sem palavras. É uma oração silenciosa que pode ser muito profunda e amadurecida.

Dez Regras para orar com simplicidade

1. Reservar, todos os dias, dois minutos para ficar a sós e em paz. Relaxa teu corpo, tua cabeça e teu coração.
2. Fala com Deus com simplicidade e naturalidade, e conta-lhe tudo o que te preocupa. Não é necessário que uses fórmulas estranhas. Fala-lhe com tuas próprias palavras. Ele as entende bem.
3. Entra em diálogo com Deus quando estás em teu trabalho diário. Fecha os olhos por alguns segundos onde estiveres: na loja, no ônibus, em tua mesa de trabalho.
4. Convence-te desta verdade: Deus está contigo e te quer ajudar. Ele não se sente importunado com teus constantes pedidos para te abençoar; é ele mesmo que te quer abençoar.
5. Ora com a segurança de que tua oração é imediatamente eficaz e que protege teus entes queridos onde estiverem, e faze com que o amor de Deus se estenda também a eles.
6. Quando oras, deves ter idéias positivas, não negativas.
7. Quando te põe a orar, procura sempre verificar se estás disposto a aceitar a vontade de Deus, qualquer que ela seja.
8. Quando oras, entrega tudo nas mãos de Deus. Pede a ele que te dê força para fazeres tudo o que te for possível; o resto, deixa com ele.
9. Dize uma palavra de intercessão por aqueles que não te querem bem ou que te trataram mal. Isso te dará forças de modo extraordinário.
10. Todos os dias deverias fazer uma oração por teu país, pela paz.

O conselho mais simples: fala com Deus como se ele estivesse sentado junto a ti, como se ele acabasse de entrar em tua casa e dissesse: “Que queres que eu faça por ti?”


FONTE: Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus da Santa



Um comentário:

Anônimo disse...

"Aflita se viu a Virgem Maria aos pés da cruz, aflito(a) me vejo. Valei-me mãe de Jesus. Confio em Deus com todas as minhas forças. Por isso, peço que ilumine meus caminhos, concedendo-me a graça que tanto desejo. Amém."

Fazer 3 pedidos, um impossível e dois difíceis.


Rezar durante 3 dias 1 Ave Maria, 1 Pai Nosso, 1 Glória ao Pai.Publicar no terceiro dia e veja o que acontece no quarto dia.

AGRADECIMENTO S.C