O conteúdo dessa página pode ser reproduzido desde que informado a fonte e o autor.

23 de dez de 2011

Símbolo do Natal.

Presépio montado na Igreja Matriz de José Bonifacio-SP-dezembro de 2011

Clique nas fotos para ampliar.









                      Sacrário da Igreja Matriz de José Bonifácio-SP

“O Presépio – Numa gruta que servia de estábulo para os animais que pastavam naquela localidade, nasceu o filho de Deus, Maria envolveu-o nuns poucos panos que trouxera consigo e o reclinou-o em uma manjedoura”.

A palavra Presépio vem do hebraico e significa manjedoura, estábulo. Desde o final do século II, já havia representações do presépio. Inicialmente foram pintados nas catacumbas de Roma.

Fazer o Presépio de Natal é uma tradição muito antiga. Surgiu no século XIII, e ainda hoje na maior parte dos países latinos é mais importante do que a arvore de natal.

As primeiras imagens que representam a Natividade (Jesus, Maria e Jose) foram criadas em mosaicos no interior das igrejas e templos, e encontram-se desde o século VI.

O presépio é talvez a mais antiga forma de caracterização do Natal.

Sabe-se que foi São Francisco de Assis, na cidade italiana de Greccio, em 1223, o primeiro a usar a manjedoura com figuras esculpidas formando um presépio, preparado numa gruta em um bosque italiano. A partir daí, montar o presépio, virou uma tradição em todo o mundo.

O boi e a vaca, figuras sempre presentes no presépio, ilustram a humildade de todas as criaturas do mundo, reconhecendo e homenageando Cristo como filho de Deus.

A idéia surgiu enquanto lia, numa de suas longas noites, um trecho de São Lucas que lembrava o nascimento de Cristo. Resolveu então monta-lo em tamanho natural, numa gruta da cidade. O que restou desse presépio encontra-se atualmente na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma.

Existe a lenda de que à meia-noite da véspera de Natal todas as abelhas que estavam a hibernar acordariam nos seus cortiços e começariam a zumbir em uníssono o Salmo 100. Ao mesmo tempo as portas do Paraíso abrir-se-iam e, durante alguns instantes, deixariam passar fosse quem fosse (abençoados e pecadores) para entrar diretamente no Céu.


Pe.Mauro Ziati Pereira
Fonte: Jornal O Profeta-ano 2010
Paróquia São João Batista-Jose Bonifácio
Diocese de São Jose do rio Preto-SP









Nenhum comentário: